Todos os posts em

receita-anchova-recheada-1

anchova recheada

quando eu era pequena, eu e minha família passávamos férias em um lugar chamado rio das ostras, que fica na região dos lagos no rio de janeiro. pelo que eu me lembro, a gente passava semanas lá no verão. uma meia dúzia de primos e os adultos que iam se revezando pra ficar com a gente. era na época que você achava um palito premiado e ganhava outro picolé, e eu lembro que um dia tomei 4 picolés seguidos. todos os picolés eram de fruta, porque minha mãe não deixava eu tomar picolé de chocolate, nem brigadeiro, nem nenhuma tranqueira dessas. quando a gente voltava da praia minha mãe fritava ovas pra tapear a fome, e quando chovia muito a gente fazia barquinhos de papel e deixava eles irem embora no rio que se formava na rua de terra alagada. em certa ocasião meus pais compraram um balde de caranguejo pra fazer no almoço, colocaram os bichos no tanque ainda vivos e na hora de prepará-los os bichos tinham fugido de dentro do tanque e se espalhado pelo …

receita-lula-frita-1

lula frita com páprica e limão

poucas coisas nessa vida combinam mais do que peixe frito (ou qualquer outra coisa do mar frita) com cerveja gelada e férias. e com esse calor que tem feito, a gente aproveita pra criar um clima de férias, nem que seja só no final de semana! essa receita de lula frita com páprica anda abraçadinha com a nossa vibe veranesca, e é uma das coisas mais fáceis que você vai encontrar por aqui. ou seja, tá com tudo pra você repetir no carnaval, seja pra matar a larica do bloquinho ou pra ficar vendo a vida passar com uma cerveja gelada ;) essa receita de lula surgiu de forma muito despretenciosa, em um dia lindo de verão aqui em são paulo. fui na feira de sábado, do jeito que eu gosto: sem hora. parando em cada barraca, perguntando da onde vem o produto, trocando ideia, apreciando aquele vuco-vuco, a gritaria, aquela dinâmica maravilhosa. logo no comecinho comprei um saco de limão cravo, que não tinha nenhum destino. continuei minha andança e fui enchendo minha sacolinha planejando as refeições da …

sardinha-assada-1

sardinha assada

apesar de são paulo estar cinza há dias e não parar de chover, continuamos com nossa programação de verão por aqui. porque eu posso estar ouvindo a chuva cair, mas vai que você está de férias na praia olhando a vida passar e louco pra comer uma sardinha? porque afinal, uma das combinações mais legais que eu conheço é verão com praia com cerveja gelada e uma sardinha frita com limão. mas, como eu não tô na praia e fritar sardinha dá muito trabalho, hoje vamos de receita de sardinha assada. inspirada em uma receita do jamie oliver, porque apesar dele ter polemizado aquilo tudo com a parceria com a sadia os livros dele continuam aqui na prateleira de casa. pra adiantar sua vida, vale ressaltar que você pode substituir a sardinha por outro peixe que você goste mais. e que essa receita vale como almoço, mas também vale tacar a sardinha no meio de um pão francês fresquinho pra virar lanche. ou usar o que sobrou pra misturar com tomate pelado e transformar tudo …

atum-selado-marinado-1

atum marinado

amados, em primeiro lugar, feliz ano novo! abrindo o ano com o pé direito, temos essa receita de atum marinado que virou a queridinha aqui de casa! essa é a primeira receita do ano, e que ele seja de muitas comidas, quitutes, festas e abraços. :) bem, pra vocês não é novidade nenhuma que eu adoro um peixinho, ou praticamente qualquer coisa que venha do mar. no final do ano eu passei uma semana no uruguay, terra da parilla, com quilômetros e quilômetros de fazendinhas lindas e cheias de vaquinhas que provavelmente vão parar no nosso prato. eu já tinha falado em algum lugar que reduzi bastante meu consumo de carne bovina (o frango já foi limado há mais de dez anos por aqui). mas estando no uruguay, era quase impossível não pedir um belo pedaço de carne, né? e assim foi, em restaurantes super conhecidos pela sua carne. pra começar eu não pedi nenhuma porção sozinha, acho impossível nos dias de hoje comer um pedaço de carne daquele tamanho, então dividi todos com meu namorado. e sendo …

sopa-frutos-do-mar-destaque

sopa de frutos do mar

uma das coisas que eu mais gosto de fazer nessa vida é cozinhar pros outros. e quando a comida fica boa e comem tudo, eu sinto um prazer que eu nem consigo explicar. uma coisa física mesmo. tenho um prazer secreto em ver panela vazia e gente de barriga cheia. tem coisa melhor? então a história dessa sopa começou assim: uns amigos viajaram e voltaram relatando todas as delícias degustadas durante a viagem, umas delas uma tal sopa com frutos do mar, molho de tomate e limão siciliano. opa! vamos fazer uma sopa dessa? pronto. junta todo mundo, abre o vinho, liga o som que hoje vai ter sopa! ficou simplesmente sen-sa-cio-nal, todos felizes e eu secretamente sentindo meu prazerzinho físico. se ela é melhor do que a sopa da ideia original eu não sei, mas te garanto que poderia comer um balde dessa sopa toda semana. deu tão certo que na semana seguinte teve mais “sopa marítima” (apelido carinhoso) pra outros amigos. mais uma panela vazia, mais gente se refastelando. muito pão italiano no caldo, muito amor, …

spaghetti-vieira-limao-destaque

spaghetti, vieiras, limão e vinho branco

vamos falar de vícios. vícios em macarrão. e em frutos do mar. e em limão. e vinho! e em como isso tudo junto virou esse prato sensacional, com cara de chique, mas que é mais rápido do que molho de tomate. a primeira vez que eu comi vieira foi na primeira viagem que fiz à nova york, uma década atrás. minha mãe e eu fomos comer num lugar asiático super simples e eu pedi uma sopa de peixe. a sopa estava ótima e, além de peixe, havia essas bolinhas brancas com uma textura super diferente e sabor adorável. fui procurar no cardápio e descobri que estava comendo scallops! nós duas nunca tínhamos visto vieira na vida, e ficamos intrigadíssimas querendo saber o que era aquilo. mas que era muito bom, era. como a gente não tem muito hábito de consumir vieiras por aqui, eu fiquei anos sem comer, mas sempre namorando as receitas que via pela interwebs. ano passado eu comi novamente em bergen, no mercado de peixe, umas vieiras fresquíssimas feitas na chapa na hora. …

truta-poche-1

truta poche com molho de iogurte

quando eu me mudei pro meu apartamento novo, eu achei que fosse demorar uma vida pra conseguir deixar ele arrumado. mas aos poucos tudo vai tomando forma, ficando com jeitinho de casa, com a minha cara. a última das tarefas é pendurar quadros, uma tarefa chata demais que demora horas e é praticamente impossível de ser realizada sozinha. mas quem tem amigos tem tudo, certo? então eu troquei um almoço por uma ajuda de uma amiga (que depois viraram duas amigas, e a segunda ainda trouxe torta de limão!) pra fazer uma parede linda de quadrinhos. sim, às vezes trabalhamos com suborno em forma de refeição ;) aqui em são paulo os peixes são diferentes do que eu estava acostumada a comprar no rio. na verdade eu ainda sou descobrindo se são os mesmos peixes mas com nomes diferentes. mas um peixe que eu já vi algumas vezes por aqui é truta, coisa que no rio não é tão comum. e sempre que eu falo de truta lembro daquela truta defumada clássica das viagens à …

salmao-curado-5

salada de salmão curado, lentilha vermelha e agrião

sabe aquelas receitas super fáceis que são simplesmente sensacionais? essa é uma delas. eu aprendi a curar o salmão numa aula de culinária nórdica que eu tive ano passado. esses dias eu comprei uma peça de salmão linda e super fresca, e resolvi fazer esse processo de cura para aproveitar o ingrediente em várias receitas. enquanto eu curava meu salmão, eu fiquei pensando como esses pescadores da idade média eram inventivos. mas não tinha geladeira, nem luz elétrica, nem isoporzinho com gelo, e muito menos comida congelada. então eles precisavam se virar mesmo pra conservar a comida que conseguiam. esse salmão curado se chama gravlax e é um prato tradicionalmente nórdico. grav vem de cavar, enterrar. lax significa salmão. inicialmente o peixe era coberto em sal e enterrado. essa conserva fazia que o peixe fermentasse um pouco, e toda a camada de sal desidrata a carne e tornar o ambiente pouco propício para o desenvolvimento de bactérias e fungos. e assim eles podiam consumir o produto por vários meses depois de pescado ou caçado. isso também te lembra …

sopa-salmao-thai-8

sopa de salmão thai

minha amiga gabriela mora lááá na noruega, numa cidade super fofa chamada bergen. lá na noruega, muito diferente do que estamos habituados por aqui, as pessoas comem muito mais em casa. elas fazem sua própria comida, elas recebem os amigos, fazem seu próprio pão, fazem churrasco no verão, almoçam sanduíche aberto. mas comer fora é numa proporção muito menor do que fazemos por aqui, principalmente porque comer fora lá é bem caro (e também por eles gastam tudo em birita. brincadeira). outro dia a gabriela comentou que lá os peixes “disponíveis” são salmão, bacalhau, truta e ponto. parece que os outros peixes vão direto pra outros canais de venda, e os pequenos produtores/feirantes não têm tanta variedade. não é que nem aqui que a gente vai na feira e tem 587 tipos de peixe. então haja inspiração pra se virar com 3 opções, né? mas por outro lado, existem muitas variações desse mesmo tema. eu nunca tinha visto tanto salmão na vida! só pra ilustrar, as fotos de frutos do mar desse post foram tiradas no mercado de peixe …

massa-siri-3

tagliatelle com siri

aí tá cinza? aqui tá tudo cinzinha no céu. meio cinza, meio branco. a temperatura tem estado mais amena, e assim os dias ficam mais agradáveis e o humor melhora exponencialmente. mas daí eu olho o cinza e penso: macarrão. eu também penso “macarrão” muitas outras vezes, mas nos dias cinza é pior. se deixar tem macarrão todo dia. mas a minha sorte é que eu gosto de muitas outras coisas. :) essa receita surgiu daquelas vontade malucas que dá na gente de comer uma coisa muito específica que você nunca viu em lugar nenhum. daí você vai lá e faz, certo? hoje eu queria falar outra coisa que não tem nada a ver com essa massa mas eu preciso dividir também. você tem pinterest? se você não tem, eu sugiro que você crie uma conta agora e fique viciado e seja engolido pelo mundo dos pins. eu tenho muita mania de guardar coisas, mania que vem da minha época de designer onde a gente guardava tudo, principalmente catálogos impressos e muitas referências. tipo, mil pastas …