Todos os posts em

pato assado com laranja e vinho branco

amores, está aberta oficialmente nossa temporada de receitas natalinas! começando com um dos meus pratos favoritos da vida, pato assado com laranja e vinho branco! durante toda a minha vida vi minha mãe deixar a mesa posta de véspera. guardanapos, talheres, pratos e taças dispostos cuidadosamente na mesa, de preferência na mesma paleta cromática. flores sempre, de preferência que exalem algum perfume. uma vasta coleção de taças, que protagonizam brindes e fotos de natal, aniversários e muitos outros encontros.   esse ano eu também deixei a mesa pronta de véspera. era o “natal do blog”, o dia em que eu preparo todas as receitas e fotos que vou compartilhar com vocês. lavei as taças, imprimi os cardápios, escolhi os melhores ramos de alecrim para ornarem a mesa. fui à feira e pedi flores vermelhas. coloquei o vinho pra refrescar, minha roupa de natal, a comida no forno. esperei a turma chegar como quem espera papai noel.  o menu já estava definido há semanas. pato assado com laranja e vinho branco, batata gratinada, torta de tomate e aspargos, farofa …

gazpacho verde

me diz se tem coisa mais veranesca, refrescante e lindamente colorida do que esse gazpacho verde? estou levemente apaixonada por essa receita, daquelas que poderia comer todos os dias antes do almoço, no lanche da tarde e na larica da madrugada. e mais apaixonada ainda eu estou por essa produção, feita em parceria com a aline sene e a ingá cria.  se você me conhece ou já veio ao blog antes, deve saber que eu tiro minhas próprias fotos desde sempre. desde as fotos mais sem vergonha de quando eu comecei o blog até ir melhorando, me entendendo com a câmera e me dedicando mais e mais a uma estética bacana. afinal, já diz aquele ditado caquético de velho, que a gente começa a comer pelos olhos.  mas a vida reserva bons encontros pra gente. esse ano eu tive a sorte de conhecer a aline pelo facebook (sim, ele serve pra alguma coisa!). começamos a conversar e fizemos uma primeira sessão. a sopa de cenoura com batata baroa, o tartar de atum e a massa …

mexilhões ao vinho branco – moules marinière

mais um prato carregado de memória afetiva que eu poderia comer toda semana, acompanhado de um rosé gelado e um solzinho na face: mexilhões ao vinho branco – também conhecidos originalmente na frança como moules marinières. há muitos anos eu fiz uma viagem para barcelona. eu tinha acabado a faculdade, tinha conseguido meu primeiro emprego, e nas primeiras férias como trabalhadora assalariada eu fiz essa viagem inesquecível pelo sul da frança e barcelona. veja, eu tenho um problema de memória terrível. posso assistir ao mesmo filme 5 vezes e nunca me lembro como ele acaba. o que de certa forma é engraçado e nunca me deixa entediada ao ver homem de ferro 3 pela nova vez. mas eu lembro beeem das coisas que eu já comi na vida. memória seletiva que chama, né? essa viagem me apresentou vários pratos e certamente foi um ponto de transformação na minha relação com a comida. se você já veio por aqui antes já deve ter visto eu mencionar essa história em outros posts. nessa viagem eu comi cassoulet …

panzanella com tomate confit

a clássica salada panzanella ganha novos ares com nossos queridinhos tomate confit. a panzanella é uma salada italiana, que tem como base pão dormido (o famoso pão véio) e tomates, e em alguns lugares também é chamada de panmolle. seu primeiro registro data do século XVI. se isso não é um clássico, não sei mais o que seria. mas nem todo clássico é sinônimo de requinte e longos preparos. no caso da panzanella você precisa apenas de 20 minutos, e ela é perfeita pra reunir todas aquelas “sobrinhas” da geladeira. o resto da cebola, aquele pepino abandonado, o pão véio que ia pro lixo, umas folhinhas de manjericão perdidas. e chega em cima disso tudo, triunfante, nosso tomate confit. o tomate confit apareceu primeiro por aqui na nossa ceia de natal de 2015. a panzanella também apareceu, quando o francinha cooks ainda era um blog baby recém-nascido! o tomate confit virou ingrediente obrigatório aqui em casa. sirvo para visitas com uma torrada e vinho, coloco na massa, na salada, e vira até acompanhamento. depois de …

casquinha de siri

olha, eu nunca me recuperei da viagem que fiz pra bahia. da praia e seus coqueiros, a calma que a vida passa, a moqueca baiana, a casquinha de siri e a caipirinha de cacau. e enquanto são paulo insiste em dizer que o verão ainda vai demorar, eu dou um jeito de trazer a bahia aqui pra casa. quando eu fui pela segunda vez no tia deth, onde eu comi a melhor moqueca da minha vida, eu fui lá na cozinha perguntar pro cozinheiro o que tinha dentro da panela. ele deve ter achado que eu era meio doida, porque deu uma risadinha da minha cara e desconversou. lá eu também comi uma casquinha de siri inesquecível, e saí com essas suas missões: fazer uma casquinha de siri e uma moqueca que me matassem a saudade da bahia. acabou que o primeiro prato foi um arroz de polvo. a moqueca ainda é um projeto em andamento, mas a casquinha de siri tá aqui. não tem farinha, nem ovo, nem leite. tem um recheio de siri …

almôndega com abobrinha

essa receita de almôndega com abobrinha e tomate vem do meu mais novo livro de receitas favorito, o menu para a semana, do food52. há alguns meses eu estava bisbilhotando uma livraria e me deparei com esse livro, que ainda não conhecia, apesar de ser usuária frequente do site. o livro é maravilhoso, e no mesmo dia já era o mais novo integrante da minha prateleira de inspirações e ensinamentos. olhei o livro de trás pra frente, de frente pra trás. apesar de não ser um exemplo de carnívora, essa foi uma das receitas que mais me intrigou: almôndega com abobrinha e tomate. a descrição da receita começava com alguma coisa do tipo “o segredo dessa receita é que o molho é o recheio…”. pronto, fiquei mais intrigada ainda. a receita entrou pra minha lista de testes a fazer, e apesar de eu querer fazer todas as receitas do mundo, eu estava há meses com essa almôndega com abobrinha na cabeça. então lá fui eu, meio desconfiada, meio achando que aquilo seria uma grande bagunça melequenta …

salada de erva-doce com limão em conserva

então ontem eu contei por aqui sobre a maravilha que é o limão em conserva, e minha primeira sugestão de uso é em uma salada de erva-doce. a erva-doce também é conhecida como funcho, e nessa época do ano é bem fácil de encontrar em feiras e mercados. a primeira receita com esse ingrediente por aqui foi erva-doce assada com parmesão, e continua sendo uma das minhas favoritas. mas como eu queria mostrar pra vocês alguns preparos com o limão em conserva, fiz essa salada de erva-doce bem levinha, rápida e deliciosa. é impressionante como a gente muitas vezes precisa de muito pouco para ter um prato surpreendente. veja bem, são apenas 3 ingredientes, 15 minutos e zero trabalho. mas está tudo ali: o doce e a crocância do funcho, a acidez da cebola e a potência do limão. pode chamar de plant based, de vegan, ou só de salada de erva-doce mesmo. :) se você não usar a erva-doce toda, pode fazer ela assada como na receita aqui de cima e guardar as folhas para …

limão em conserva

quando a vida de ter muitos limões, faça limão em conserva – mas guarde alguns pra caipirinha, ok? sério, esse é o tipo de coisa que você vai querer ter pra sempre na sua geladeira. :) tudo começou quando eu ganhei um carregamento de limões da minha sogra, que viajou de longe com um saco de limões recém colhidos e maduríssimos. acontece que a quantidade da fruta era bem maior do que eu conseguiria consumir, então eu precisava de um plano b para que os limões rendessem. claro que sempre temos a opção torta de limão ou bolo de limão ou lula frita com limão grelhado, mas eu precisava de uma solução melhor naquele momento. e aí eu descobri essa coisa maravilhosa chamada limão em conserva. fuça daqui, google de lá, as proporções da receita de limão em conserva são diferentes em cada fonte, mas a única coisa que você precisa é limão e sal. dois ingredientes, tempo e a mágica está feita! na minha primeira tentativa eu usei a proporção de 1 colher de sopa …

tartar de atum com avocado

as temperaturas aumentaram e pra fingir que é verão temos tartar de atum com avocado (e óleo de gergelim e raspas de laranja!). atum é um dos meus peixes favoritos, e volto e meia volto da feira com um pedaço. normalmente preparo como tartar, no poke ou esse atum selado, porque acho um ingrediente maravilhoso demais para ser preparado de forma insossa e perder o frescor. esse tartar de atum e avocado veio inspirado lá da bahia, quando eu comi um tartar de atum com manga maravilhoso. pra mim essa receita ficou com gostinho de férias. andar de biquini, tomar cerveja gelada vendo a vida passar, comer frutos do mar na beira da praia. ah, o verão, que saudade. minha primeira (e única, acho) dica pro seu tartar de atum com avocado ficar igualzinho do restaurante chique é apenas uma: fique amigo do peixeiro. é sério. o peixeiro vai cuidar da sua comida, abrir o peixe, mexer em partes estranhas que você provavelmente não gostaria de encostar e, mais importante de tudo: te dar o …

sopa de vôngole – clam chowder

ah, há quanto tempo eu queria escrever essa receita de sopa de vôngole – clam chowder pra vocês! certamente há mais de um ano! uma das minhas sopas favoritas, abracinho em forma de comida, que tem algumas das melhores coisas da vida: bacon, batata, frutos do mar :) essa receita de sopa de vôngole é adaptada do livro a arte culinária de julia child: técnicas e receitas essenciais de uma vida dedicada à cozinha. eu simplesmente amo esse livro e essa foi a primeira receita que eu fiz dele. a primeira vez que o abri o fiquei um pouco assustada. acostumada com livros com fotos deslumbrantes e fã da katie quinn davies, aprendi a ler  receitas que contam tim tim por tim tim o que fazer, precedido por uma longa lista de ingredientes. nesse livro, muitas vezes não é o caso. na receita de bolo de amêndoas, por exemplo, os ingredientes vão sendo revelados enquanto ela conta como fazer o bolo. ou seja, eu li umas 8 vezes tudo até entender quanto eu precisava de …