Todos os posts com tag

pêssego assado com calda de café

já teve farofa de panko, torta de tomate com aspargos, pato com laranja e vinho branco. mas gente, não vai ter nenhum docinho esse natal? siiiim! tem pêssego assado com calda de café e tomilho. puro luxo.  no natal de 2016 eu fiz uma torta de pêssego e escrevi sobre o final de ano. engraçado que todo ano é igual, né? chega dezembro e a gente começa a ficar aflito, querendo terminar as tarefas que enrolou o ano todo pra fazer, tem que ver os amigos e a família antes do natal, escrever as metas pro ano seguinte, comprar presente, passar calor e ficar mais aflito que não vai dar tempo de fazer tudo. e todo final de ano também tem pêssego, que é a época dessa frutinha cheirosa e suculenta que é a cara do natal :)  essa receita de pêssego assado começou lá no grupo de co-criadores da dedo de moça, do qual orgulhosamente eu faço parte. o desafio era criar uma receita com café na verdade. mas como eu falei ontem, o cardápio …

farofa de panko com miúdos e bacon

olha, natal sem farofa não é natal! e a desse ano vem em formato especial, muito molhadinha, uma farofa de panko com miúdos e bacon. nossa, só de falar já bate uma saudade! eu acho engraçado porque fico observando o acesso aqui nesse mês de natal e uma das receitas mais acessadas é essa farofa de linguiça na manteiga.  eu sempre curti muito uma farofa, mas tem que ser muito molhadinha. eu até confesso que eu curto mais farofa e molho à campanha do que o próprio churrasco ou sei lá qualquer carne seja o “principal”. desde pequenina eu sou a tarada da farofa. até o dia que eu provei a de panko, que basicamente leva a farofa a outro patamar de maravilhosidade.  a primeira versão que eu fiz dessa farofa de panko foi de acompanhamento para um pato no tucupi que fiz para uns amigos. sério. se você nunca comeu farofa de panko, por favor dê uma chance. é paixão certa. nessa versão eu usei os miúdos do pato assado com laranja e vinho …

torta de tomate e aspargos

um dos nossos acompanhamentos natalinos esse ano é essa linda torta de tomate e aspargos. quando eu comecei, lá em outubro, a fazer o cardápio do natal, eu cismei que queria uma torta vermelha. minha cisma aumentou para uma torta de tomates. pesquisa vai, pesquisa vem, me deparei com uma receita minha no google ♡, da galette de tomates com muçarela de búfala e manjericão.  mas não era bem isso, eu queria uma torta grande, colorida, imponente e natalina. uma torta de tomate e aspargos bem maravilhosa :) de uma forma meio sublimar minha torta virou praticamente uma bandeira do natal, e apesar de ela ser muito simples ela tem um ingrediente muito simbólico. vamos lá pra história. em agosto desse ano eu procurei a raquel, da wellmove, porque estava necessitada de uma ajuda profissional na minha alimentação. eu cantava ao quatro ventos como minha alimentação era um grande exemplo de saudável, mas nos últimos meses estava faltando muita coisa no meu prato. por n razões, sendo uma delas preguiça. na nossa primeira conversa a raquel …

pato assado com laranja e vinho branco

amores, está aberta oficialmente nossa temporada de receitas natalinas! começando com um dos meus pratos favoritos da vida, pato assado com laranja e vinho branco! durante toda a minha vida vi minha mãe deixar a mesa posta de véspera. guardanapos, talheres, pratos e taças dispostos cuidadosamente na mesa, de preferência na mesma paleta cromática. flores sempre, de preferência que exalem algum perfume. uma vasta coleção de taças, que protagonizam brindes e fotos de natal, aniversários e muitos outros encontros.   esse ano eu também deixei a mesa pronta de véspera. era o “natal do blog”, o dia em que eu preparo todas as receitas e fotos que vou compartilhar com vocês. lavei as taças, imprimi os cardápios, escolhi os melhores ramos de alecrim para ornarem a mesa. fui à feira e pedi flores vermelhas. coloquei o vinho pra refrescar, minha roupa de natal, a comida no forno. esperei a turma chegar como quem espera papai noel.  o menu já estava definido há semanas. pato assado com laranja e vinho branco, batata gratinada, torta de tomate e aspargos, farofa …

gazpacho verde

me diz se tem coisa mais veranesca, refrescante e lindamente colorida do que esse gazpacho verde? estou levemente apaixonada por essa receita, daquelas que poderia comer todos os dias antes do almoço, no lanche da tarde e na larica da madrugada. e mais apaixonada ainda eu estou por essa produção, feita em parceria com a aline sene e a ingá cria.  se você me conhece ou já veio ao blog antes, deve saber que eu tiro minhas próprias fotos desde sempre. desde as fotos mais sem vergonha de quando eu comecei o blog até ir melhorando, me entendendo com a câmera e me dedicando mais e mais a uma estética bacana. afinal, já diz aquele ditado caquético de velho, que a gente começa a comer pelos olhos.  mas a vida reserva bons encontros pra gente. esse ano eu tive a sorte de conhecer a aline pelo facebook (sim, ele serve pra alguma coisa!). começamos a conversar e fizemos uma primeira sessão. a sopa de cenoura com batata baroa, o tartar de atum e a massa …

mexilhões ao vinho branco – moules marinière

mais um prato carregado de memória afetiva que eu poderia comer toda semana, acompanhado de um rosé gelado e um solzinho na face: mexilhões ao vinho branco – também conhecidos originalmente na frança como moules marinières. há muitos anos eu fiz uma viagem para barcelona. eu tinha acabado a faculdade, tinha conseguido meu primeiro emprego, e nas primeiras férias como trabalhadora assalariada eu fiz essa viagem inesquecível pelo sul da frança e barcelona. veja, eu tenho um problema de memória terrível. posso assistir ao mesmo filme 5 vezes e nunca me lembro como ele acaba. o que de certa forma é engraçado e nunca me deixa entediada ao ver homem de ferro 3 pela nova vez. mas eu lembro beeem das coisas que eu já comi na vida. memória seletiva que chama, né? essa viagem me apresentou vários pratos e certamente foi um ponto de transformação na minha relação com a comida. se você já veio por aqui antes já deve ter visto eu mencionar essa história em outros posts. nessa viagem eu comi cassoulet …

panzanella com tomate confit

a clássica salada panzanella ganha novos ares com nossos queridinhos tomate confit. a panzanella é uma salada italiana, que tem como base pão dormido (o famoso pão véio) e tomates, e em alguns lugares também é chamada de panmolle. seu primeiro registro data do século XVI. se isso não é um clássico, não sei mais o que seria. mas nem todo clássico é sinônimo de requinte e longos preparos. no caso da panzanella você precisa apenas de 20 minutos, e ela é perfeita pra reunir todas aquelas “sobrinhas” da geladeira. o resto da cebola, aquele pepino abandonado, o pão véio que ia pro lixo, umas folhinhas de manjericão perdidas. e chega em cima disso tudo, triunfante, nosso tomate confit. o tomate confit apareceu primeiro por aqui na nossa ceia de natal de 2015. a panzanella também apareceu, quando o francinha cooks ainda era um blog baby recém-nascido! o tomate confit virou ingrediente obrigatório aqui em casa. sirvo para visitas com uma torrada e vinho, coloco na massa, na salada, e vira até acompanhamento. depois de …

casquinha de siri

olha, eu nunca me recuperei da viagem que fiz pra bahia. da praia e seus coqueiros, a calma que a vida passa, a moqueca baiana, a casquinha de siri e a caipirinha de cacau. e enquanto são paulo insiste em dizer que o verão ainda vai demorar, eu dou um jeito de trazer a bahia aqui pra casa. quando eu fui pela segunda vez no tia deth, onde eu comi a melhor moqueca da minha vida, eu fui lá na cozinha perguntar pro cozinheiro o que tinha dentro da panela. ele deve ter achado que eu era meio doida, porque deu uma risadinha da minha cara e desconversou. lá eu também comi uma casquinha de siri inesquecível, e saí com essas suas missões: fazer uma casquinha de siri e uma moqueca que me matassem a saudade da bahia. acabou que o primeiro prato foi um arroz de polvo. a moqueca ainda é um projeto em andamento, mas a casquinha de siri tá aqui. não tem farinha, nem ovo, nem leite. tem um recheio de siri …

almôndega com abobrinha

essa receita de almôndega com abobrinha e tomate vem do meu mais novo livro de receitas favorito, o menu para a semana, do food52. há alguns meses eu estava bisbilhotando uma livraria e me deparei com esse livro, que ainda não conhecia, apesar de ser usuária frequente do site. o livro é maravilhoso, e no mesmo dia já era o mais novo integrante da minha prateleira de inspirações e ensinamentos. olhei o livro de trás pra frente, de frente pra trás. apesar de não ser um exemplo de carnívora, essa foi uma das receitas que mais me intrigou: almôndega com abobrinha e tomate. a descrição da receita começava com alguma coisa do tipo “o segredo dessa receita é que o molho é o recheio…”. pronto, fiquei mais intrigada ainda. a receita entrou pra minha lista de testes a fazer, e apesar de eu querer fazer todas as receitas do mundo, eu estava há meses com essa almôndega com abobrinha na cabeça. então lá fui eu, meio desconfiada, meio achando que aquilo seria uma grande bagunça melequenta …

salada de erva-doce com limão em conserva

então ontem eu contei por aqui sobre a maravilha que é o limão em conserva, e minha primeira sugestão de uso é em uma salada de erva-doce. a erva-doce também é conhecida como funcho, e nessa época do ano é bem fácil de encontrar em feiras e mercados. a primeira receita com esse ingrediente por aqui foi erva-doce assada com parmesão, e continua sendo uma das minhas favoritas. mas como eu queria mostrar pra vocês alguns preparos com o limão em conserva, fiz essa salada de erva-doce bem levinha, rápida e deliciosa. é impressionante como a gente muitas vezes precisa de muito pouco para ter um prato surpreendente. veja bem, são apenas 3 ingredientes, 15 minutos e zero trabalho. mas está tudo ali: o doce e a crocância do funcho, a acidez da cebola e a potência do limão. pode chamar de plant based, de vegan, ou só de salada de erva-doce mesmo. :) se você não usar a erva-doce toda, pode fazer ela assada como na receita aqui de cima e guardar as folhas para …