Todos os posts com tag

bandeja de peixe com polvo e camarão

primeira semana do ano. já fez sua listinha de metas pra 2015? já pensou no que tá bom ou no que deve mudar? a hora é agora, hein! a minha listinha de metas é secreta e intransferível, mas eu posso contar pra você que 2015 é um ano cheio de novidades. e que a gente vai aproveitar esse calor do demônio pra fazer umas receitas levinhas e fresquinhas, combinado? aqui no rio de janeiro faz tanto calor que não dá nem vontade de comer. nem de beber. nem de se mexer. um horror mesmo. viva a água gelada e o ar condicionado! no primeiro final de semana do ano eu já estava com uma ideia do que queria fazer. tudo muito simples. percebi que depois do natal me deu uma certa preguicinha de ir pra cozinha. é que o natal teve bastante coisa, muitos pratos e preparações, e muita gente, uma alegria só. e eu tive uma ajudante especial natalina, minha sobrinha que adora cozinhar e passou o dia comigo na cozinha preparando a nossa ceia …

frittata de aspargos com tomate cereja

continuando nossa conversinha sobre brunch, a receita de hoje é uma frittata de aspargos com tomate cereja! eu já tinha colocado aqui uma receita de frittata, lembra? e eu já fiz várias outras vezes, sempre que tem uns ovos sobrando. é muito prático e fica uma delícia com uma saladinha verde no jantar. bem, brunch que se preze tem ovo. tem omelete, ovo frito, ovos benedict, ovo com bacon… hummm. pensei muito sobre os ovos benedict (estão na minha listinha de receitas a fazer!), que eram a minha primeira opção. ai que saudade de comer um ovos benedict no café da manhã! mas fazer pra nove pessoas e deixá-los prontos seria arriscado. então parti para a frittata, que depois de pronta não tem problemas com mudança de textura ou sabor. optei por uma opção vegetariana já que os sanduíches abertos já tinham lombinho. mas, como eu sempre digo: use sua imaginação! tendo a base, experimente com o recheio que você quiser (ou o que estiver sobrando na geladeira!). pronto, último item escolhido, brunch completo! :) ingredientes:  12 ovos …

brunch + pesto de salsa

existe coisa mais preguiçosa e deliciosa do que um brunch no fim de semana? você senta, come, bate papo… come de novo, experimenta uma outra coisinha, muda de lugar e curte mais um pouco. é meio desculpa pra acordar tarde e se permitir comer umas coisas mais gorditas no café da manhã! e por isso eu passei di-as pensando qual iria ser o cardápio desse brunch que fiz para um encontro de amigas. queria alguma coisa prática e que não ficasse me levando toda hora pra cozinhar pra pegar/preparar alguma coisa, e que não tivesse a preocupação do tempo para servir. depois de pensar muito, o cardápio escolhido foi: sanduíche aberto com pesto de salsa, frittata de aspargos com tomate cereja, relish de tomate, torta de limão, bolinhos de amêndoa com morango, croissant, frutas, salame, queijo e geléias. resultado: ficamos a tarde inteirinha em volta da mesa nos deliciando e matando a saudade :) mas hoje vamos falar dessa sanduíche aberto com pesto de salsa. a combinação escolhida foi lombo canadense, queijo curado de cabra, tomate italiano e …

sopa de tomate

vamos direto ao ponto. até alguns poucos anos atrás eu não curtia tomate. eu sempre amei molho de tomate. mas o tomate cru ou assado, não rolava. cru então não rolava mesmo. eu tenho uma amiga que come tomate cru com um salzinho em cima como quem come uma maçã do amor. ela me olhava indignada e dizia: como assim você não come tomate??? e hoje eu confesso que todo o entusiasmo dela foi um empurrãozinho pra eu gostar de tomate também. obrigada, amiga :) hoje todo dia que eu faço essa sopa eu lembro dela, e ainda vou um dia fazer especialmente pra ela. mas eu defendo o seguinte: você tem todo direito do mundo de não gostar de alguma coisa. mas de vez eu quando não custa tentar e experimentar de novo. tem uma mão cheia de coisas que eu não comia e que eu como hoje em dia. a gente muda, nosso paladar muda, e além disso sempre existem diversos modos de preparar alguma coisa. você pode não gostar de um, mas sempre tem …

lasanha de porco com molho bechamel

quando eu era pequena havia uma loja de massas na esquina da minha casa chamada suprema. um balcão simples expunha as massas frescas e prontas, e você escolhia ali o que queria levar. as senhorinhas atendentes trabalhavam lá desde sempre, e atrás do balcão havia uma enorme janela de vidro que dava pra cozinha. lá dentro dava pra ver as massas sendo preparadas em grandes balcões sujos de farinha e grandes panelas com água fervente. eu era pequenina e lembro de tudo numa proporção enorme. o cardápio devia ser extenso, mas lá em casa a gente só comprava duas coisas: pastéis e lasanha a bolonhesa. era como se o cardápio só tivesse isso. os pastéis eram pra tapear a fome e a lasanha era consumida nas travessas de alumínio mesmo, com um prato de papelão embaixo pra não sujar a mesa. era uma festa. era o almoço de domingo, e durante a semana em algumas exceções. a gente comeu isso durante anos e nunca ninguém se cansou. eu lembro exatamente do sabor do molho branco daquela …

torta aberta

eu queria fazer essa receita há meses. tenho um bloquinho que eu vou anotando as receitas que eu quero fazer pra não esquecer depois. e essa torta estava lá, até que essa semana resolvi testar. nos dias anteriores eu estava bem doente, e tudo que eu queria era chegar em casa, fazer a torta, comer uma comida bem quentinha e gostosa e descansar. afinal, o que poderia dar errado? peguei duas receitas (do paladar e do panelinha) que davam para a massa os mesmos ingredientes e quantidades, fiz tudo bonitinho, e quando fui abrir a massa…. cataploft. ops. ??. a massa ficou fina demais, se desmanchou, grudou por tudo. juntei a massa e devolvi pra geladeira. talvez estivesse calor demais e a manteiga estivesse derretendo rápido demais, pensei. uma hora depois, segunda tentativa. fui abrir a massa e ficou fina demais. se eu deixasse mais grossa, não ia haver massa suficiente para cobrir o recheio. joguei a massa fora, guardei o recheio na geladeira, fiz um sanduíche e fui dormir (com fome). dia 2. revi as duas receitas, e …

relish de tomate

dia desses eu fui em um evento onde tinha relish de tomate. eu comi, e repeti, e comi mais um pouquinho até ficar com vergonha de comer mais. o garçom foi tirar o resto e eu não deixei, peguei o pouquinho que tinha sobrado. meu deus, como era bom aquilo. como eu passei tanto tempo sem comer isso? consultando a minha memória de peixe eu não recordo de ter visto isso muitas vezes, apenas em vidrinhos no mercado. e eu vou sempre preferir fazer em casa do que comprar um vidrinho no mercado. pelo menos sempre que der. pesquisei e fui rumo à feira comprar os tomates mais bonitos que eu achasse. nessas últimas semanas estão todos lindos, praticamente posando pra foto no meio da feira. não tem como resistir. sopa de tomate, molho de tomate, gazpacho, outro molho com tomate, e agora, relish de tomate. eu acho engraçado ver que os blogs de países no hemisfério norte estão enlouquecidos com a época de tomate, zilhões de receitas e fotos com todas as variedades, todo mundo …

massa com camarões, aspargos e vinho branco

eu fiz essa massa pro meu pai, de presente de dia dos pais. sim, eu realmente dou comida de presente pras pessoas :) meu pai disse que ele queria uma massa especial. oh, lord! essa era a única dica que eu tinha. ele ama massa, e eu sei como é difícil fazer um prato de massa realmente memorável e com sabor único. a primeira opção foi um ragu, mas não faz nem dois meses que eu fiz um ragu pra ele. ele tinha acabado de voltar da itália e resolvemos fazer um almoço para colocarmos a conversa em dia. o prato que ele escolheu para o nosso almoço foi um ragu e já foi logo dizendo que na itália comeu ragu várias vezes e estava encantado com a receita. ou seja, alta expectativa com o ragu da francinha! eu já amo um ragu, aproveitei pra caprichar e fazer um lindão. ele amou, disse que era examente igual ao que ele tinha comida na itália. <3 então eu tinha superar que o ragu. queimei a mufufa e …

massa com frutos do mar

há mais de um ano atrás, antes deste lindo blog existir, eu fiz uma viagem pra itália. sabe, eu sempre quis conhecer a itália. me imaginava estilo noviça rebelde pelos campos da toscana com uma taça de vinho da mão, tomando gelato e comendo pasta até no café da manhã. foi quase isso, tirando o fato de que estava muito frio e eu não corri cantando pelos campos da toscana. mas foi uma viagem in-crí-vel e certamente inesquecível. foram 23 gelatos (sim, eu contei) e muitos pratos de massa. e acho que você deveria saber que eu curto uma feira, de qualquer coisa. seja de cacareco, de comida, de livro, de flor, de móvel. e foram tantas feirinhas que me dá até um suspiro de saudade. muitas barraquinhas vendiam massas, de todas as formas e cores. pois bem, comprei dois pacotes de massa. e desde então, estava à espera de uma ocasião especial pra preparar a tal massa. pensando hoje eu vejo que isso é um pouco idiota, porque não me faltaram dias felizes, e …

polvo com tomates

outro dia eu mencionei aqui uma viagem que eu fiz há 10 anos atrás pra espanha e como eu lembro de quase tudo que eu comi. a refeição que eu mais lembro foi em um restaurante numa pequena cidade de praia, com mesas comunitárias e onde o próprio dono nos atendeu. chegamos e pedimos pelo cardápio. ele respondeu que não havia cardápio, que o que eles tinham era o que tinha vindo do mar naquele dia. a partir daí, virou um banquete… panelinhas e frigideiras com peixes, frutos do mar, cozidos, fritos, assados, puros, espetaculares. era isso, comida na forma que eu mais amo. uma mesa grande, com comida fresca, simples e encantadora. esse dia foi marcante, e acho que daí se consolidou minha adoração por frutos do mar. eu lembro disso muitas muitas vezes, especialmente quando vou à feira comprar peixe e fico pasma com a variedade, formas, cores, tantas mil opções de preparo. mas o ponto que eu quero chegar é o seguinte: sabe aquela história de que polvo é muito difícil de fazer? …