[todas as receitas], acompanhamento, veggie
escrever comentários

empadão de palmito

empadão de palmito

desde que entramos em isolamento social, meu corpo clama por comida afetiva. pesquisei receitas de empadão de palmito, já fiz empadão de camarão, panqueca, milanesa, parmegiana, muitas canjas de galinha. até arroz à piamontese eu já fiz, e também mousse de chocolate. ontem eu ganhei um levain, e quem sabe eu não abraço também a moda do pão. o litro do óleo, que costumava durar pelo menos 6 meses, já foi renovado pelo menos 3 vezes. afinal, maionese virou item de primeira necessidade durante a quarentena.

empadão de palmito

quem diria, hein? provavelmente, ninguém. mas existe muita explicação por trás desses desejos por comida afetiva, e estamos todos juntos nessa página. se tiver interesse no assunto, esse artigo do ny times fala um pouco sobre isso. uma das explicações é a busca por algum conforto emocional, e a gente vai atrás disso nas comidas da nossa infância. lasanha, biscoito, sorvete, brigadeiro, tá tudo lá. pura memória afetiva. outro ponto é a exaustão – a gente simplesmente se rende ao que é mais fácil e rápido, e acaba consumindo também mais ultraprocessados.

empadão de palmito

aqui em casa abri muitas concessões nesses últimos 100 dias. por mais que a cozinha seja um espaço de alegria, meditação e fuga, também tem a capacidade de gerar ainda mais ansiedade. a louça que nunca acaba, as mil refeições, a lista de compras, higienizar todas as compras, começar tudo de novo. tem dias que eu penso “não acredito que já tem que comer de novo”. e diante de tantas mudanças, recolhidos, assustados, a gente precisa ir se respeitando e levando um dia de cada vez. tudo bem comer mais proteína animal, ou chocolate, ou sei lá o que. vivemos tempos de exceção, e vamos vivendo dentro dos nossos limites mentais.

para além de tudo isso, me enche o coração ver vocês indo pra cozinha. aprendendo, se aventurando, encontrando prazer nas panelas e criando essa conexão com o cozinhar. isso a gente leva pra vida, não tem volta. todo dia tem gente nova chegando aqui, no pinterest e no instagram! fico emocionada lendo as mensagens que vocês me mandam, alegra meu dia ver quando fazer as minhas receitas. e assim seguimos, descobrindo novos prazeres, cozinhando coisas novas, experimentando, aprendendo e comendo empadão de palmito. :D

empadão de palmito

mas calma, que é claro que essa receita de empadão de palmito tem história. quando eu era pequena, havia uma senhora que trabalhava na casa de um tio que era tipo a rainha do empadão. volta e meia ela aparecia em casa com uma marmita enorme, aquela classicona de alumínio, sabe? e dentro tinha o empadão de palmito mais cremoso da face da terra. jesus, aquilo era muito maravilhoso. ela também fazia empadão de frango, tão cremoso quanto. ao lado eu colocava arroz branco, azeite (sim, azeite no arroz), misturava tudo e virava tipo um arroz cremoso de palmito com farofa de massa. eu queria nadar naquele empadão. era uma alegria conjunta da família quando ela trazia aquela marmita pesada com o jantar recém saído do forno.

empadão de palmito

infelizmente eu não consegui reproduzir a massa em casa. a última vez que eu comi esse empadão tem uns 25 anos. e uma coisa que eu me perguntei muito esses últimos meses foi: o quanto dessa comida será verdade e o quanto é responsabilidade da nossa memória? será que o empadão era tão inesquecível assim? ou é o afeto, a lembrança, a ocasião, a companhia, a história que transforma os sabores do nosso imaginário? a pergunta é: se eu comesse hoje esse empadão de palmito, ele teria o sabor e a textura que eu insisto tanto em carregar comigo?

para certas perguntas não teremos resposta. mas decidi que era hora de fazer meu próprio empadão de palmito, um para ocupar esses 25 anos de lembrança e esquentar o coração em tempos de pandemia.

empadão de palmito

ps:
– francinha, é torta de palmito ou empadão de palmito? você pode escolher a nomenclatura, eu chamo de empadão.
– essa receita rende um empadão pequeno, que serve 4 pessoas.
– você pode fazer a massa com antecedência e guardar no congelador.
– você pode montar o empadão de véspera (sem o ovo pincelado), cobrir, guardar na geladeira e só assar quando for servir.
– você pode substituir os tomates por tomate pelado e esperar o molho reduzir um pouco antes de adicionar o palmito.


porções: 4 fatias | tempo de preparo: 15 minutos + 1h15

ATENÇÃO: essa receita rende um empadão pequeno, numa forma de 20cm de diâmetro e 7cm de altura, com empadão com 6cm de altura com massa fina. caso queira mais massa, ou massa mais grossa, use esta receita.

ingredientes para a massa:

  • 200g de farinha de trigo
  • 100g de manteiga sem sal muito gelada
  • 1 ovo
  • 2 colheres de sopa de água gelada
  • 1 colher de chá de sal

ingredientes do recheio:

  • 400g de palmito de boa qualidade em conserva
  • 1 cebola média
  • 3 tomates italianos muito maduros
  • 5 dentes de alho
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo
  • 1/3 xícara de chá de leite integral
  • noz moscada a gosto
  • cheio verde (salsa e cebolinha) picada – cerca de 1/4 xícara
  • 1 colher de sopa de azeite
  • sal e pimenta
  • 1 ovo – para pincelar

como faz a massa: em uma tigela, coloque a farinha. adicione a manteiga em cubos bem gelada. com as pontas dos dedos aperte a manteiga e a farinha até formar uma farofinha. adicione o sal, o ovo e misture novamente com as mãos. adicione a água e misture até a massa ficar lisa e homogênea. se você quiser, pode fazer esse passo na batedeira com o batedor tipo raquete. embrulhe a massa em plástico filme e leve à geladeira por no mínimo 30 minutos ou até 24 horas. se você preferir também pode congelar e usar em 3 meses.

como faz o recheio: pique a cebola, o alho e o tomate. em uma panela média, aqueça 1 colher de sopa de azeite. adicione a cebola picada e deixe por 5 minutos. adicione o alho e o tomate, tempere com sal e pimenta e tampe a panela e deixe em fogo médio por aproximadamente 10 minutos – até o tomate estar bem macio. enquanto isso, pique o palmito. adicione o palmito à panela. misture bem e então polvilhe a farinha de trigo. misture bem e então adicione o leite, aos poucos, mexendo bem até formar um creme espesso. caso o creme não espesse, adicione mais meia colher de sopa de farinha. tempere com a noz moscada e corrija o sal e a pimenta. adicione o cheiro verde e misture.

como faz a montagem: pré-aqueça o forno a 180ºc. em uma superfície limpa e enfarinhada, coloque a massa. corte 1/3 da massa, esse é o pedaço usado para a tampa da torta. abra os dois pedaços. transfira o pedaço maior para a forma. adicione o recheio e depois tampe. com os dedos ou um garfo, pressione a junta das massas para que ela não abra. pincele com o ovo batido e leve ao forno até dourar, cerca de 35 minutos. está pronto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.